Rua Caldas da Rainha, 806 Bairro São Francisco BH/MG CEP 31.255-180 (31) 3273-2486

5 Erros Comuns na Segurança Patrimonial de Empresas

08

set 2021

Por:Via Networks
Segurança

Diariamente, assistimos às cenas dos telejornais que amedrontam a população. Crimes e criminosos têm se tornado cada vez mais “qualificados” e, por isso, quando o assunto é segurança empresarial, não deve haver espaço para falhas.

Assim sendo, saber onde costumam estar os erros de segurança patrimonial e como eles podem ser evitados, é tarefa essencial.

Neste artigo, abordaremos alguns pontos que realmente merecem atenção na hora de proteger seu empreendimento!

Os pilares da segurança patrimonial

Diante de qualquer iminência de perigo, a preocupação sempre aumenta. Todas as vezes que o número de roubos, furtos e invasões às empresas se eleva, observamos o investimento em segurança crescer.

Entretanto, um dos pilares da segurança corporativa é o investimento preventivo, que deve ser realizado independentemente da sazonalidade dos crimes.

Além do mais, vale ressaltar a importância de investir em sistemas de qualidade, que não ofereçam apenas uma falsa sensação de segurança

É primordial que sejam implementados sistemas eletrônicos adequados à área, equipamentos de detecção de presença, equipe de vigilância especializada, iluminação de proteção e ronda no perímetro empresarial.

Afinal, quais são os erros mais comuns na segurança patrimonial?

Qual será a maneira correta de proteger sua empresa? Existe uma “fórmula mágica” ou uma “receita de bolo”? Bom, obviamente, não! Porém, podemos mitigar os riscos e apontar o caminho ideal.

Conheça agora, quais são os 5 erros mais comuns na segurança patrimonial de empresas!

1. Não investir em treinamento de funcionários

Apesar de toda inovação tecnológica, não podemos deixar em segundo plano a relevância dos funcionários que atuam na segurança da empresa.

Resumidamente, o papel desses profissionais envolve: prevenir ocorrências através das ferramentas de monitoramento, detectar os incidentes com agilidade e reagir, a fim de resolver a situação que se apresenta.

É de suma importância, portanto, que treinamentos sejam promovidos e que abordem temas como: domínio dos equipamentos de segurança, análise do ambiente de atuação e otimização do tempo de ação.

Além disso, é essencial que exista um programa de avaliação desses funcionários, tendo como intuito a identificação de pontos a serem melhorados. 

2. Não possuir gestão administrativa

Antes de qualquer decisão, é preciso que se elabore, através de análises técnicas, um plano de segurança patrimonial. Ademais, é necessário que se tenha clareza a respeito de inúmeros assuntos, como:

  • Processo de legalização da segurança;
  • Gestão de pessoal;
  • Gestão financeira;
  • Gestão de materiais, prazos e contratos;
  • Normas e procedimentos de segurança;
  • Passo a passo para implementação do projeto.

Em síntese, é fundamental gerir ações que possibilitem o funcionamento adequado de cada etapa de implementação do projeto.

3. Não possuir planejamento e gestão de riscos

Ter nas mãos a tarefa de cuidar da segurança patrimonial de uma empresa envolve muita responsabilidade. 

Por isso, é importante que se identifique quais são as vulnerabilidades presentes no local. Alguns dos riscos mais comuns são:

  • Falhas técnicas em equipamentos de segurança;
  • Utilização de equipamentos inadequados;
  • Equipe de vigilância despreparada e/ou desmotivada;
  • Visão comprometida dos arredores da empresa devido à ausência de iluminação ou presença de vegetação alta, por exemplo;
  • Ineficiência de barreiras físicas na entrada da empresa, como cancelas.

Dessa forma, é fundamental que a gestão saiba como aplicar corretamente os recursos, evitando que existam super dimensionamentos e desperdícios.

4. Não possuir um equipamento de segurança adequado ao local

Certamente, um dos erros mais comuns na segurança patrimonial de empresas diz respeito à ausência de um equipamento de segurança adequado às necessidades da área.

Além dos equipamentos físicos, é necessário também, um adequado Gerenciamento de Programas de Segurança.

Exemplo disso, é a rotineira instalação de câmeras de segurança não recomendadas, como: mini câmeras em locais onde seria aconselhável uma câmera tradicional e câmeras tradicionais em áreas de circulação noturna, sem iluminação, onde seria indicado o uso de câmeras de infravermelho.

Vemos ainda, situações nas quais são instalados equipamentos sem a previsão de gravação de imagens, a fim de “baratear” custos. O investimento despendido em CFTV, nesse caso, serve apenas para visualizar cenas em tempo real.

Nos cenários apontados, o empresário possui a falsa sensação de segurança, já que as imagens não têm nenhuma utilidade caso haja alguma ocorrência.

5. Abrir mão da qualidade para “economizar”

Por último, mas não menos importante, chegamos ao aspecto orçamentário, o célebre budget.

Grande parte dos gestores optam pela prestação de serviço mais “em conta”, assumindo o risco – altíssimo, diga-se de passagem – de entrarem para as estatísticas do famoso “barato que sai caro”.

Obviamente, a análise Custo x Benefício deve ocorrer, porém, deve ser criteriosa. No momento em que o parâmetro exclusivo para escolha do serviço se torna o preço, as chances de falhas se potencializam.

Todo projeto merece atenção, principalmente quando lida diretamente com vidas e patrimônios que são frutos de uma existência inteira de trabalho e dedicação.

É primordial que os recursos financeiros sejam otimizados e para isso, é fundamental que exista clareza a respeito dos riscos existentes e dos investimentos que serão necessários para mitigá-los.

Como uma empresa especializada pode ajudar na segurança patrimonial?

APVS OBRAS

Portanto, para que a proteção de uma corporação seja garantida, sem falhas elementares, é fundamental contar com profissionais que entendam as necessidades técnicas e as particularidades de cada situação. 

Nesse sentido, uma empresa especializada em segurança patrimonial pode poupar muito dinheiro e problemas futuros.

A Via Networks é referência em serviços de Engenharia, especializada em Infraestrutura, Energia e Telecomunicações.

Grande exemplo de excelência, foi o projeto realizado com a APVS, maior associação de proteção veicular da América Latina, no qual a Via Networks foi responsável por todas as fases de execução do projeto de infraestrutura.

Resumidamente, o serviço prestado pela Via Networks contou com as seguintes características:

  • 80 Câmeras de Sistema de CFTV;
  • Câmera  de alta resolução, com lentes diversas, software de gravação e Licença;
  • Câmeras com infravermelho capazes de cobrir até 30m em ambientes com baixa luminosidade e com grande nitidez das imagens;
  • Câmeras de tecnologia de ultrabaixa luminosidade utilizando o sensor de alta sensibilidade “Starvis Back-Iluminated”;
  • Sala de Monitoramento preparada para acompanhar 24/7 as imagens das câmeras;
  • Implantação e treinamento da uma solução de Videowall, para visualização e colaboração na sala de operações.

Vale ressaltar ainda, que a solução Videowall consiste em uma série de monitores conectados fisicamente em arranjo, de modo a formar uma grande tela, normalmente composta por painéis de LCD ou LED. Dentre outras finalidades, é um equipamento utilizado em salas de monitoramento e controle, painéis para publicidade e shows.

A Via Networks é especialista também em cabeamento estruturado. Afinal, apenas possuir um sistema de monitoramento moderno e tecnológico não basta. É preciso que a rede seja capaz de sustentar os equipamentos envolvidos no projeto de segurança. 

Não corra riscos, entre em contato conosco, conheça nossos serviços e tire suas dúvidas!

contratar empresa de ti

Ainda não recebemos comentários. Seja o primeiro a deixar sua opinião.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rua Caldas da Rainha, 806 Bairro São Francisco BH/MG CEP 31.255-180

(31) 3273-2486

contato@via.eng.br

Segunda à Quinta 8h às 18h / Sexta 8h às 17h